Operacional Mina Subterrânea

Com dados oriundos das sondagens, as geologias de longo e curto prazo realizam as primeiras modelagens do corpo de minério, estimando teor e massa. Em seguida, o projeto é enviado ao planejamento para que este determine o modelo de blocos deste corpo, mostrando a distribuição espacial do teor ao longo do corpo de minério.

Juntamente à geomecânica, há uma análise das condições do maciço, determinando qual a condição de suporte da rocha. Caso haja, as contenções deverão ser utilizadas conforme orientação. Com a determinação exata do corpo, e liberação da geomecânica, o planejamento determina como devem ser desenvolvidas as galerias de transporte e acesso ao minério, sempre buscando a via menos custosa para que não inviabilize a sua extração. Eles (planejamento) também são responsáveis pelo dimensionamento do plano de perfuração que será executado no desmonte do corpo de minério.

A operação da mina subterrânea é dividida em três grandes áreas:

  • Infraestrutura;
  • Desenvolvimento;
  • Lavra

 

A infraestrutura compreende a área para fornecimento do recurso necessário para realização das operações unitárias, são eles:

  • Água;
  • Ar comprimido;
  • Ventilação;
  • Bombeamento;
  • Eletricidade.

 

Seguindo o projeto de galerias determinado pelo planejamento, a operação por meio do método drill and blast (perfuração e desmonte com explosivo) realiza a escavação das galerias até o ponto onde serão realizadas as perfurações para lavra, seguindo o seguinte ciclo: Perfuração horizontal, carregamento com explosivo, detonação, exaustão dos gases, limpeza com carregadeira, abatimento de choco, raspagem, atirantamento, telamento ou concreto projetado (podendo ser usado os dois, em uma contenção sanduíche), raspagem com a retroescavadeira e a marcação topográfica, para que se reinicie a perfuração – desenvolvimento.

Com aprovação da operação, os planos de perfuração começam a ser executados por equipamentos de perfuração vertical. Findadas as perfurações são realizados os desmontes, onde o método utilizado na Mineração Caraíba é o VRM (Vertical Retreat Mine), com desmontes controlados em metragem determinadas pela geomecânica, abrindo primeiramente a face livre (Slot) e posteriormente detonação dos leques, sempre em recuo.

As carregadeiras LHD’s são usadas na carga e transporte do minério, abastecendo as caçambas com capacidade de 27t – lavra. Estas, por sua vez, podem ter dois destinos. O primeiro deles é o transporte até o ore pass, localizado no nível -78, seguido de britagem, transporte por correias transportadoras até o silo de minério, localizado no nível 7 e deslocamento à superfície via shaft por 2 skips de 15 toneladas. A alternativa é via rampa velha, indo direto ao britador primário (área 41). Ambos minérios produzidos (via shaft ou rampa – britador primário) são destinados à pilha intermediária, e de lá transportados à usina de beneficiamento.